Feeds:
Artigos
Comentários

VEJA Entrevista: Mehmet Oz

A mágica do dr. Oz

O médico americano diz que para se manter
jovem não é suficiente cuidar do corpo.
É preciso também refazer as amizades


Paula Neiva

Divulgação
“Para aumentar a expectativa
de vida, não basta evitar doenças.
É preciso exercitar o corpo
para que ele não enfraqueça”

A especialidade do cirurgião cardíaco americano Mehmet Oz, de 47 anos, é retardar ao máximo os efeitos da idade em seus pacientes. Diretor do Programa de Medicina Integrada da Universidade Colúmbia, em Nova York, ele é consultor da famosa clínica antienvelhecimento do médico Michael Roizen, criador do conceito de que é possível manter o organismo mais jovem do que aponta a idade cronológica. Oz e Roizen também assinam a quatro mãos uma série de livros de sucesso que ensinam como manter um estilo de vida que adia a velhice. O mais recente deles, You Staying Young (Você Sempre Jovem), lançado há um mês nos Estados Unidos, já vendeu meio milhão de exemplares. Nos últimos quatro anos, Oz se tornou uma celebridade ao participar de um quadro fixo no programa de TV da apresentadora Oprah Winfrey. Ele também apresenta documentários no Discovery Channel. Nos dois casos, dá dicas aos telespectadores sobre como viver mais com boa saúde. Esse é justamente o tema da entrevista que ele deu a VEJA.

Veja – Existe uma fórmula para se manter jovem por mais tempo?
Oz – Sim. Há catorze agentes principais envolvidos no envelhecimento. Sete retardam o processo, como os antioxidantes, e sete nos enfraquecem, como a atrofia muscular. É preciso manter esses agentes sob controle. O primeiro passo para alcançar esse objetivo é pensar não na possibilidade de ficar doente, mas na necessidade de manter o organismo saudável. Deve-se tirar o foco da prevenção dos males e direcioná-lo para a preservação da saúde. Se ninguém mais morresse de câncer e de doenças cardiovasculares, a expectativa de vida média do ser humano subiria apenas nove anos. Isso mostra que, para aumentar consideravelmente a expectativa de vida, não basta evitar doenças. É preciso cuidar do corpo para que ele não enfraqueça. Quando uma pessoa envelhece, doenças potencialmente fatais, como o câncer e o infarto, não aparecem de imediato. Antes que elas se instalem, o corpo torna-se mais frágil e vulnerável.

Veja – O que fazer para evitar que o corpo se torne frágil e vulnerável?
Oz – Meu novo livro, You Staying Young (Você Sempre Jovem, ainda sem previsão de lançamento no Brasil), trata exatamente desse tema. Os exercícios físicos são uma ferramenta essencial. Eles combatem o primeiro sinal do envelhecimento, que é a perda de força muscular. Outros recursos importantes são alimentar-se bem e meditar. Uma boa recomendação é a prática do tai chi chuan, exercício oriental que combina equilíbrio, coordenação motora e também meditação. Se todos adotassem essas medidas, a vida média da população poderia subir para 110 anos. Quanto à alimentação, não podem faltar nutrientes como o resveratrol da uva e o licopeno do tomate, que são poderosos antioxidantes. O principal, mas também o mais difícil, é controlar a quantidade dos alimentos. De qualquer forma, todo mundo deve comer um pouco menos do que tem vontade.

Veja – Fazer várias pequenas refeições por dia, como recomendam alguns médicos, faz bem para a saúde?
Oz – Deve-se comer de três em três horas. Se o intervalo é maior, a taxa de hormônio grelina, que estimula a fome, começa a subir. O problema é que, após uma refeição, ainda demora trinta minutos para que a taxa desse hormônio volte a baixar. Em conseqüência disso, acaba-se comendo mais do que se deveria. O mais importante, além de comer alguma coisa a cada três horas, é trocar as refeições grandes por pequenas, intercaladas por lanchinhos. Esse conceito não foi criado por mim. É o que mostram as pesquisas científicas.

Veja – O que o senhor considera refeições grandes e pequenas?
Oz – Uma refeição grande ultrapassa 1 000 calorias. Uma pequena tem, no máximo, 500. Quem consome por volta de 2 000 calorias diárias pode fazer duas refeições de 300 calorias cada uma e outra maior, de até 800. Os lanchinhos podem ter até 250 calorias.

Veja – O que deve ficar de fora do cardápio?
Oz – Existe uma regrinha fácil de ser usada, a regra dos cinco. Para isso, é preciso examinar o rótulo dos alimentos. Cinco ingredientes não podem estar entre os primeiros listados no rótulo. São eles: gorduras saturadas, gorduras trans, açúcar simples, açúcar invertido e farinha de trigo enriquecida. Dois desses nutrientes são gorduras, dois são açúcares. Os dois tipos de gordura podem estimular processos inflamatórios no fígado que forçam a produção de substâncias deletérias, como o colesterol. Também fazem com que o fígado fique menos sensível à insulina, aumentando o risco de diabetes. Os açúcares listados fazem mal por estimular a produção de insulina, o que aumenta o depósito de gordura corporal. O pior é que esses cinco itens são os mais comuns nas dietas atuais.

Veja – O cardápio básico do brasileiro, composto de arroz, feijão, carne e salada, é saudável?
Oz – A princípio, sim. Esse cardápio contém exatamente os nutrientes para os quais a digestão humana está preparada. Mas os brasileiros comem carnes muito gordas, o que é errado. Antigamente, no mundo inteiro, quando os métodos de criação do gado eram mais simples, a porcentagem de gordura dos melhores cortes da carne bovina era, em média, de 4%. Hoje é de 30%. Outro problema dos hábitos alimentares do brasileiro é que ele come arroz em excesso, o que não traz nenhum benefício. Melhor seria adotar o arroz integral. Os alimentos integrais têm mais fibras, o que os mantém mais tempo no intestino e diminui a absorção de açúcar pelo organismo. Uma vantagem dos brasileiros é ter à disposição enorme variedade de frutas e vegetais maravilhosos, por preço razoável.

Veja – Os hábitos que o senhor propõe para prolongar a vida são relativamente simples, mas exigem controle estrito sobre as atividades do dia-a-dia. Como exercer esse controle?
Oz – A palavra-chave é automatizar. Ou seja, fazer desses hábitos uma rotina, sem precisar pensar muito neles. Acordar, escovar os dentes e passar o fio dental, para reduzir a quantidade de bactérias prejudiciais à saúde. Beber muito líquido ao longo do dia, principalmente água e chá verde. Dormir ao menos sete horas por noite. Durante o sono se produz o hormônio do crescimento, essencial mesmo para quem já é adulto, pois prolonga a juventude. Caminhar meia hora por dia e praticar exercícios que façam suar três vezes por semana. Meditar cinco minutos diariamente, o que pode estar embutido na prática de ioga ou tai chi chuan. Evitar alimentos que estejam na regra dos cinco, que mencionei anteriormente. Uma última coisa: estreitar o relacionamento com as pessoas próximas e abster-se de julgá-las. Em vez de julgar os outros, é melhor tomar conta de si próprio.

Veja – Abster-se de julgar os outros ajuda a manter a juventude?
Oz – Sim, da mesma forma que resolver situações de conflito. O conflito não traz nada de positivo. É apenas desgastante. Costumo recomendar a meus pacientes que procurem as pessoas com quem mantêm uma relação de animosidade e tentem resolver o impasse. Essa é uma atitude para o bem-estar próprio. Não há nada de altruísta nela. É uma atitude egoísta.

Veja – O que o senhor acha das dietas para emagrecer que surgem e viram moda a cada seis meses?
Oz – Essas dietas fazem sucesso, mas são péssimas para a saúde. A alimentação não deve ser encarada como uma maratona para a perda de peso. Uma dieta que tenha como chamariz o emagrecimento rápido não é confiável. Comer menos do que o corpo necessita é uma agressão à fisiologia. Ou seja, aos processos químicos que fazem o organismo funcionar. Quando a fisiologia é desprezada, os resultados das dietas são transitórios.

Veja – Por que o senhor recomenda cuidados com o jantar?
Oz – Na verdade, há uma única regra a observar: deve-se jantar pelo menos três horas antes de dormir. Deitar logo após a refeição facilita o acúmulo de gordura, principalmente na cintura. Além disso, comer muito tarde prejudica o sono.

Veja – O senhor recomenda beber muita água durante o dia. Quanto se deve beber exatamente?
Oz – Deve-se beber uma quantidade suficiente para que a urina esteja sempre clara. Isso varia de um dia para o outro. Em dias quentes, sua-se muito e, por isso, é preciso beber mais água. Para quem não abre mão da cafeína, sugiro chá verde. Em lugar de quatro cafezinhos por dia, beba quatro copos de chá verde. Essa bebida concentra muitos antioxidantes e nutrientes bons para a saúde.

Veja – Muitos ambientalistas condenam o consumo de água engarrafada. Do ponto de vista da saúde, ela é melhor que a água da torneira?
Oz – Eu acho um erro beber água engarrafada. Há dois problemas principais com ela. O primeiro é que, se a garrafa plástica não for reciclada, pode contaminar os mares e os rios. Isso prejudica o meio ambiente e, indiretamente, a saúde. O plástico das embalagens vai parar nos peixes que comemos. O resultado é que 97% das pessoas apresentam resíduos de plástico no organismo, o que interfere no sistema hormonal. Esses resíduos estimulam os receptores de estrogênio, o hormônio feminino. Em excesso, o estrogênio pode causar câncer e outros problemas. As toxinas contidas no plástico também aceleram o envelhecimento. O segundo problema é que, como a água engarrafada não apresenta vantagens com relação à água da torneira, trata-se de um desperdício de dinheiro.

Veja – O senhor recomenda exercícios físicos que provoquem suor. Exercícios leves são inúteis?
Oz – Essas recomendações visam à saúde cardiovascular. Para essa finalidade, apenas os exercícios moderados ou intensos, que fazem suar, apresentam benefícios. Mas os exercícios suaves e de baixo impacto têm valor. Mesmo a caminhada movimenta grandes músculos, como os das coxas e dos quadris, que consomem muita energia. Como o gasto calórico muscular é maior durante o exercício, a queima de calorias aumenta.

Veja – Os suplementos vitamínicos são criticados em muitos estudos científicos. O que o senhor acha deles?
Oz – Eles são eficazes, mas prometem mais do que cumprem. Na verdade, os médicos saem da faculdade sem conhecimentos suficientes sobre os suplementos e são forçados a tirar suas próprias conclusões. De modo geral, uma suplementação só é necessária quando as vitaminas não são obtidas naturalmente com a alimentação. Por outro lado, acredito que determinadas vitaminas podem melhorar a qualidade de vida e a longevidade. Entre elas estão as vitaminas A, B, C, D e E, além de cálcio, magnésio, selênio e zinco. A vitamina D é importantíssima, pois previne câncer e osteoporose. Principalmente nos países mais frios, onde a exposição solar é restrita, os suplementos são essenciais.

Veja – Além dos procedimentos já descritos nesta entrevista, o que mais o senhor faz para adiar o envelhecimento?
Oz – Minha receita principal de juventude é brincar com meus filhos. Também procuro descobrir coisas novas todos os dias. Aprendo ao conversar com os outros e, apesar de ser muito assediado para responder a perguntas, por causa de minha atuação na TV, prefiro perguntar, saber como é a vida das pessoas, como elas trabalham. Isso faz minha mente exercitar-se.

Veja – Nos últimos anos, o aperfeiçoamento do tratamento clínico fez cair o número de cirurgias cardíacas. Essa é uma tendência em outras especialidades médicas além da cardiologia?
Oz – Sem dúvida. Os recursos clínicos tornaram-se mais eficazes tanto para a prevenção de doenças quanto para seu tratamento. Por isso, assim como na cardiologia, a cirurgia deixou de ser a primeira opção em outras áreas. Há poucos anos, quando o paciente machucava o joelho, ia direto para a sala de operação. Agora, ele vai para a sala de fisioterapia. Essa tendência também é evidente nos casos de diverticulite, uma inflamação do intestino, que passou a ser tratada com o consumo de fibras. O mesmo acontece com pacientes que apresentam doença arterial obstrutiva periférica. Antes eles iam para a faca. Agora, recebem como orientação deixar de fumar e caminhar. Mesmo que sintam dor num primeiro momento, essa é uma maneira de estimular o crescimento de novos vasos sanguíneos para substituir os danificados.

Veja – O senhor já esteve no Brasil. Como foi sua experiência no país?
Oz – Visitei o Brasil há muitos anos, quando ainda era estudante de medicina. Fui ao Rio de Janeiro e conheci o doutor Ivo Pitanguy. Também fiquei deslumbrado com as frutas brasileiras e com as lojas de sucos. Elas misturam frutas e outros vegetais, uma combinação pouco convencional. Conheci o açaí, que até hoje está no meu cardápio. Compro açaí em Nova York mesmo. É um dos alimentos com maior concentração de antioxidantes. Planejo voltar ao Brasil em meados do ano que vem para gravar um programa. Quero muito ir à Amazônia e conhecer as plantas medicinais da região.

Cálcio e MagnésioEstes dois minerais trabalham estreitamente ligados no organismo e, freqüentemente, são combinados em suplementos multivitamínicos. Em equipe, ajudam a reduzir o risco de câncer, estimulam a potência cerebral, intensificam o rendimento atlético e protegem a pele. Além disso, o cálcio e o magnésio trabalham juntos para regular os níveis de energia do organismo e manter o funcionamento normal do coração e a transmissão nervosa, e são necessários para ter ossos fortes e saudáveis.

Também colaboram na luta contra a pressão sanguínea elevada, e possuem um leve efeito sedativo, que ajuda quando é ingerido antes do momento de dormir.O cálcio sozinho é necessário para prevenir a osteoporose, os transtornos cardíacos, os problemas da menopausa e certos tipos de cânceres, enquanto o magnésio é útil contra a tensão pré-menstrual, a hipertensão arterial, a ansiedade, a fadiga e a diabete.

Para que não faltem em seu organismo, inclua em sua dieta o leite e seus produtos derivados, legumes, couves e outros vegetais de folha verde, sardinhas enlatadas e peixe branco, para receber suficiente cálcio, assim como cacau ou chocolate, frutas secas e mariscos, para ter uma boa ingestão de magnésio.
Cromo, aliado da insulina
Os especialistas em alimentação o consideram um mineral essencial para o organismo, porque ajuda a insulina a regular o metabolismo das proteínas, os carboidratos e as gorduras. Quando o corpo tem pouco cromo, podem surgir vários tipos de problemas de saúde, desde um desequilíbrio nos níveis de açúcar no sangue até a obesidade.

Também ajuda a reduzir seu risco de problemas cardíacos, diabetes e problemas da visão. Os atletas são partidários deste mineral para ajudar a reduzir a gordura corporal, aumentar o rendimento dos músculos e controlar a fome e o peso.

Para que não falte em seu organismo, inclua em sua dieta fermento de cerveja, carne, fígado, ovo, frango, ostras, germe de trigo, pimentão verde, maçã, banana e espinafre.
Zinco, muito mais que um estimulante sexualEle é considerado o mineral do sexo masculino e, de fato, é necessário para o metabolismo hormonal, a produção de testosterona, a formação do esperma e a composição do sêmen, enquanto alguns dos alimentos que têm reputação de ser afrodisíacos ou de intensificar a virilidade, como as ostras, possuem um conteúdo elevado desta substância.

Mas além disso, o zinco é crucial para outras várias funções do corpo, desde a cicatrização de feridas e a imunologia até a desintoxicação do fígado. Os órgãos sensoriais também precisam deste mineral para a visão, a audição, o olfato e o paladar.

Alguns estudos indicam que o zinco pode ajudar a reduzir o risco de câncer, estimular a potência cerebral, equilibrar o nível de açúcar no sangue e perder peso. Para que ele não falte no seu organismo, inclua em sua dieta alimentos protéicos como as carnes de rês, porco e cordeiro e a carne escura do frango, assim como amendoins e legumes.
Por Ricardo Goncebat

Receita para emagrecer: amor prÓprio

Você já percebeu que muitas pessoas são viciadas em cigarro, drogas, álcool, dinheiro, poder, trabalho, sexo, comida? O que há em comum em todas essas situações?

 
Uma resposta seria a necessidade de fugir e a outra de sentir prazer, só que infelizmente por caminhos destrutivos. Todas são maneiras de preencher um vazio interno com algo externo. Com isso, a frustração e a insatisfação permanecem, diminuindo cada vez mais a auto-estima, pois a pessoa se sente incapaz.Estamos num momento em que a busca pelo TER infelizmente sobrepõe-se facilmente ao SER. O que acontece? Por que as pessoas acreditam que ao obterem algo material ou externo, suas vidas mudarão? Por que, mesmo apesar dessa busca incessante, há tanta ansiedade, tensão, doenças? Por  

que tantas pessoas infelizes, sofrendo, sentindo-se sozinhas e principalmente, com uma sensação profunda de vazio? A solidão só é sentida quando a própria pessoa se abandona. Todos podem até te abandonar, mas você não pode nunca fazer o mesmo.

Do ponto de vista emocional, qualquer fuga é negativa, pois sempre que se foge de uma situação, na verdade se está fugindo dos próprios sentimentos. Ou, o que é pior, representa uma fuga de si mesmo e do que está dentro de si, ainda que inconsciente. Por isso, mesmo depois de ter saciado sua vontade, sentido prazer – momentâneo, claro – o vazio continua.

Resultado: frustração, angústia, insatisfação e a sensação cada vez mais forte de não ser capaz, ou seja, a auto-estima despenca e a culpa se faz presente. Você já parou para pensar qual a causa desse vazio? O que está faltando? O que está buscando de verdade? Faça uma reflexão profunda consigo mesmo e ouça a resposta.

“Não podemos amar ninguém mais do que no amamos, e não podemos receber amor de alguém, enqunto não recebemos o nosso próprio”

Você pode responder que falta dinheiro, sucesso, amor, reconhecimento, aprovação, mas será que buscando preencher esse vazio com algo externo, você consegue preenchê-lo? Com certeza poderá te causar mais angústia, não é mesmo? Na verdade, falta algo básico: amor-próprio. Já pensou nisso?

Pergunte-se agora: “O que estou sentindo?” Qual é a resposta que vem na sua cabeça? Ouvindo a resposta, procure respeitar o que sente, agindo de acordo com esses mesmos sentimentos. Trate-se com mais carinho, seja amoroso com você, da mesma forma que seria com alguém que ama. Afinal:

“NÃO PODEMOS AMAR NINGUÉM MAIS DO QUE NOS AMAMOS,
E NÃO PODEMOS RECEBER AMOR DE ALGUÉM,
ENQUANTO NÃO RECEBERMOS O NOSSO PRÓPRIO”

E para você, o que é mais importante, ter ou ser? Talvez você já tenha tentado todos os caminhos externos e já sabe os resultados. Mas será que já tentou simplesmente ser? Dessa vez faça diferente, se aproxime da única pessoa que realmente poderá preencher esse vazio: VOCÊ!

Cyberdiet

LuFrancesa

8 motivos para você beber mais água

 

Ela é sinônimo de vida – não é à toa que uma das grandes preocupações do momento é a preservação desse líquido cada dia mais precioso. Economizar água é palavra de ordem da nossa era. Só não vale para um caso: hidratar seu corpo. Esta reportagem vai convencê-la a virar mais um copo já!

A Terra é conhecida como planeta água, tamanha a quantidade desse recurso natural, que ocupa cerca de 70% da sua área. O incrível é que nós também somos formadas por esse líquido na mesma proporção. “A água tem muitas funções no organismo, como manter nossa temperatura e irrigar tecidos”, diz a nutricionista paulistana Luciana Setaro, mestre em nutrição pela Universidade de São Paulo e doutoranda em ciência dos alimentos. Um tecido bem irrigado significa, na prática, pele e cabelo maravilhosos. Para ajudá-la a manter a corpo e a saúde em dia, destacamos oito motivos que fazem da água uma das suas melhores amigas. Veja nas próximas páginas e refresque-se!

1 – facilita a digestãoA água ajuda na formação de enzimas (substâncias que facilitam as reações químicas no organismo) e também da saliva e do suco gástrico, que atuam na digestão.

2 – combate o inchaçoSem uma hidratação adequada, o volume de sangue diminui. Assim, as vitaminas e os minerais que ele carrega demoram mais tempo para chegar às células e, conseqüentemente, na pele e nas extremidades como cabelo e unhas. Por outro lado, bem hidratada, sua pele fica bonita e seu cabelo e unhas fortes. Além disso, com uma boa irrigação, o organismo não retém sódio – responsável pelo inchaço.

3 – reduz infecções
Ao se manter hidratada, você assegura que seu corpo será bem nutrido pelo sangue. É ele também que transporta minerais, como o ferro – importante para fortalecer as defesas do organismo.

4 – regula a temperatura
Por meio da transpiração, a água evita que o organismo entre em colapso com alterações bruscas de temperatura e faz com que ele se adapte ao ambiente.

5 – turbina a performance na malhação
O melhor desempenho em atividades físicas ocorre porque as fibras musculares “ficam azeitadas”, deslizando com mais facilidade, o que reduz o risco de cãibras e de contusões.

6 – desintoxica e previne a celulite
Grande parte das toxinas é expulsa do nosso organismo por meio da urina e do suor. Por dia, eliminamos 1 litro e meio de urina e o equivalente a um copo de água na transpiração. Se não houver hidratação suficiente, esse processo – e a sua saúde! – fica comprometido. A água amolece as fezes, facilitando a eliminação delas. Todo esse conjunto, aliado à melhora na circulação sanguínea, acaba prevenindo o aparecimento de celulite.

7 – ajuda a emagrecerIsso acontece principalmente quando ela é consumida junto com fibras solúveis, encontradas, por exemplo, nas frutas e na aveia. Em contato com a água, as fibras incham como uma esponja e dão sensação de saciedade. A água também pode “enganar” temporariamente o estômago com sua presença, mas, como ela não sofre digestão e absorção, essa sensação passa rapidamente e a fome reaparece.

8 – melhora a absorção dos nutrientesVale lembrar que é o sangue que carrega a glicose e outros nutrientes para as células, alimentando-as. E só uma hidratação adequada garante o volume ideal de sangue para transportar os nutrientes. Além disso, para serem absorvidos, eles precisam da água. É o caso das vitaminas C e do complexo B, que reforçam nossas defesas.

COMPRE COM CONSCIÊNCIA E RECICLE SEMPRELembre-se de que a produção de 1 quilo de garrafas PET (do tipo que armazena água mineral e refrigerantes) demanda 17,5 litros de água e libera no ar 2,3 quilos de gás carbônico – um dos responsáveis pelo efeito estufa. Além disso, a água engarrafada é transportada por caminhões que também liberam gás carbônico no meio ambiente.

o que a água tem?As águas minerais disponíveis no mercado contêm nutrientes com propriedades terapêuticas.

Zinco: auxilia na cicatrização
Ferro: turbina as defesas do organismo.
Cálcio: fortalece ossos e dentes.
Sódio e potássio: ajudam no funcionamento de músculos e no metabolismo.
Cloretos: mantêm o equilíbrio hídrico.
Lítio: afasta a insônia e atua sobre o sistema nervoso central.
Silício: deixa o organismo mais forte contra infecções.
Magnésio: atua no crescimento dos tecidos.

COMUNS, GOURMETS OU FLAVORIZADAS: QUAL ESCOLHER?
Basta uma ida rápida ao supermercado para você se deparar com vários tipos de água – incluindo as com sabor ou flavorizadas (do inglês flavor, sabor). Com leve gosto de frutas como limão, laranja, pêssego e maracujá, não têm açúcar ou calorias. “Apostando na variedade e na sofisticação das águas, alguns restaurantes já oferecem uma carta com sugestões para harmonizá-las com o vinho e a comida”, diz o paulistano Renato Frascino – primeiro sommelier de águas do país. Para facilitar a sua escolha, ele faz uma divisão por categorias – comum, gourmet e flavorizadas – e dá dicas para você arrasar no próximo jantar com seu gato. Um detalhe: bebendo água, você ingere menos vinho e menos comida. Portanto, engorda menos também.

<!–[if gte vml 1]&gt; &lt;![endif]–><!–[if !vml]–><!–[endif]–>AS COMUNS
Próprias para o consumo diário, contêm ou não gás. Também podem ser usadas na preparação de sucos. Algumas opções: Schincariol, Aquarel, Petrópolis, Minalba, Crystal.

<!–[if gte vml 1]&gt; &lt;![endif]–><!–[if !vml]–><!–[endif]–>AS GOURMETS
Acompanham bem pratos mais elaborados e ajudam na digestão. Algumas opções: São Lourenço, Prata, Ouro Fino e as importadas Perrier e Panna.

<!–[if gte vml 1]&gt; &lt;![endif]–><!–[if !vml]–><!–[endif]–>AS FLAVORIZADAS
Ideais para quem não gosta de água pura, substituem os refrigerantes nas festas e caem bem com refeições mais leves. Exemplos no mercado: Aquarius, Via Natural.


Produção: Ana Hora e Adriana de Bossens. Produtos Lancôme e L’óreal Professionel. Modelo: Yasmin Jordão (Agência 40 Graus). Biquíni Track & Field, tops Santas, Salinas e Bumbum, calcinhas Cia. Marítima para Track & Field e Bumbum, brinco Metally, faixa Bumbum, garrafinha Track & Field.

O que a água tem?

As águas minerais disponíveis no mercado contêm nutrientes com propriedades terapêuticas.

Zinco: auxilia na cicatrização
Ferro: turbina as defesas do organismo.
Cálcio: fortalece ossos e dentes.
Sódio e potássio: ajudam no funcionamento de músculos e no metabolismo.
Cloretos: mantêm o equilíbrio hídrico.
Lítio: afasta a insônia e atua sobre o sistema nervoso central.
Silício: deixa o organismo mais forte contra infecções.
Magnésio: atua no crescimento dos tecidos

COMUNS, GOURMETS OU FLAVORIZADAS: QUAL ESCOLHER?

Basta uma ida rápida ao supermercado para você se deparar com vários tipos de água – incluindo as com sabor ou flavorizadas (do inglês flavor, sabor). Com leve gosto de frutas como limão, laranja, pêssego e maracujá, não têm açúcar ou calorias. “Apostando na variedade e na sofisticação das águas, alguns restaurantes já oferecem uma carta com sugestões para harmonizá-las com o vinho e a comida”, diz o paulistano Renato Frascino – primeiro sommelier de águas do país. Para facilitar a sua escolha, ele faz uma divisão por categorias – comum, gourmet e flavorizadas – e dá dicas para você arrasar no próximo jantar com seu gato. Um detalhe: bebendo água, você ingere menos vinho e menos comida. Portanto, engorda menos também.

AS COMUNS
Próprias para o consumo diário, contêm ou não gás. Também podem ser usadas na preparação de sucos. Algumas opções: Schincariol, Aquarel, Petrópolis, Minalba, Crystal.

AS GOURMETS
Acompanham bem pratos mais elaborados e ajudam na digestão. Algumas opções: São Lourenço, Prata, Ouro Fino e as importadas Perrier e Panna.

AS FLAVORIZADAS
Ideais para quem não gosta de água pura, substituem os refrigerantes nas festas e caem bem com refeições mais leves. Exemplos no mercado: Aquarius, Via Natural.

 

Fonte: Revista Boa Forma

Exercícios na medidaAlongamento
O alongamento deve ser feito antes de iniciar qualquer atividade física e, no final delas. Ele ajuda a prevenir lesões nos músculos e tendões, evita dores musculares e aumenta a flexibilidade do atleta.

Aquecimento
Ele tem papel fundamental na malhação. O aquecimento faz com que a temperatura corporal aumente, o que por conseqüência aumenta a força muscular. Ele também otimiza a coordenação neuromuscular. Para se ter uma idéia, em cada grau corporal aumentado, o metabolismo celular aumenta e isso resulta em uma liberação mais rápida de oxigênio do sangue para os músculos.

As roupas
É fundamental que sejam leves, flexíveis e confortáveis para facilitar o exercício. Use roupas de acordo com a temperatura. Não esqueça de usar meias apropriadas a cada tipo de exercício, para prevenir a formação de bolhas. Um tênis com amortecedor é muito importante para que não ocorram lesões nas articulações. Em caso de esportes aquáticos, não fique com maiô molhado por muito tempo e use touca.

O banho após os exercícios
Ele deve ser iniciado 10 ou 15 minutos após o término dos exercícios, não antes disso, para que o processo de sudorese termine. Tome uma ducha morna, para relaxamento dos músculos.

A hidratação
Melhor do que só hidratar o corpo, é também repor os sais minerais perdidos durante a malhação. A água é a bebida que mais agrada na reposição líquida, mas sucos, água de coco e isotônicos também podem servir como ótimos aliados na reidratação. Não importa qual dessas bebidas, o importante é bebê-las durante e após os exercícios.

Sucos digestivos Algumas destas bebidas são excelentes para isso,como o suco de abacaxi que é excelente digestivo e antiinflamatório natural, além de possuir altas concentrações de vitaminas A,B e C e cálcio.

Já o suco de mamão é ótima fonte de vitaminas e apresenta em particular a papaína, enzima de função benéfica ao organismo e ao sistema digestivo.

Já o suco feito com abacate, possui proteínas, carboidratos,vitaminas A,B1,B2,C,D,E e sais minerais e tem ação digestiva e ativadora da função renal.

E para quem gosta de sucos de vegetais, que tal experimentar um de alface?Esta hortaliça tem ação digestiva,analgésica e sedativa.

Por Marco de Cardoso

Cuidado com o colesterol O aumento de do mau colesterol(LDL) é um dos maiores fatores de aumento de risco das doenças coronarianas e uma das maiores causas de mortes em todo o mundo.

A alimentação pode ser um fator muito importante para controlar estas taxas,pois dependendo do que se come, estes índices podem subir ou baixar no organismo.

Para evitar o aumento do mau colesterol,evite alimentos como: carne gorda, miúdos e vísceras, embutidos como salsicha, salame, mortadela, salsicha e presunto gordo,frituras, maionese, manteiga, patê, massas folhadas, ovos, queijos amarelos e camarão.

Coma: carnes brancas cozidas, assadas ou refogadas, frutas e verduras, leite e iogurte desnatado, pães, bolachas e arroz integral, ricota, margarina light ou halvarina, aveia integral.

Por Marco de Cardoso